/Tudo sobre a morte de Renato Souza.

Tudo sobre a morte de Renato Souza.

Compartilhe...

Cristina Santos, viúva do radialista Renato Souza, procurou a redação do canoense.com e resolveu quebrar o silêncio que, segunda a mesma, estava destruindo ela por dentro, ainda segundo Cristina, a mesma sentia necessidade de falar e denunciar a negligência médica da casa maternal de Lagoa Da Canoa, bem como, o descaso da gestão da prefeita Tainá do Dr. Lauro que corroboraram para a morte de seu marido, o radialista Renato Souza.

Cristina Santos relatou que na manhã do dia 07 de novembro de 2018, Renato acordou cedo e foi trabalhar em um terreno da família e que por volta da 7h começou a sentir dores no peito e no braço esquerdo, com a intensidade dessas dores, Renato resolveu voltar para casa, porém, outros sintomas apareceram como dormência no rosto e a suar frio, ainda segundo Cristina, também surgiu uma mancha escura nas costas de Renato Souza, com esse quadro preocupante, ela conduziu Renato a casa maternal em busca de socorro.  Ao chegar na casa maternal, começou o martírio de Renato, narra Cristina Santos: “ao chegarmos na casa maternal, a médica plantonista era Alessandra, Renato gemia de dores e dizia para a médica que estava enfartando, sem dar ouvidos, Alessandra prescreveu soro( Cristina não soube informar se foi dada outra medicação aliada ao soro, uma vez que, a médica não disse nem autorizou a família ver o prontuário), e retirou-se para sua sala, momentos depois, Renato Souza passou a vomitar sangue, neste momento, a técnica de enfermagem comunicou a médica o ocorrido, mas segundo a técnica, Alessandra não voltou para observar o paciente”.

Sem atenção e sem medicação adequada, pois, apesar da médica não voltar para observar o paciente, uma funcionária da casa maternal afirmou que não havia medicação para tal situação, Cristina Santos voltou para casa com o marido em estado pior do que quando foi levado a aquela unidade de saúde. No segundo horário daquele mesmo dia, 07 de novembro de 2018, por volta das 14h, continua Cristina, a situação de Renato só piorava e sem saber o que fazer, voltou novamente a casa maternal de Lagoa Da Canoa, já que além de todos os sintomas, Renato passou a sentir falta de ár. Ao chegar ao atendimento, Alessandra, que era a plantonista, sequer levantou de sua cadeira para atender o paciente, afirma Cristina Santos, nem para observar os sinais vitais de Renato à médica levantou. Com a falta de ar, o próprio paciente solicitou inalação para diminuir sua falta de ar, no que foi atendido e em seguida, tornou a voltar para sua residência.

A noite do dia 07 chegou e com ela o quadro de Renato Souza agravou-se de vez, entre 19 e 20h, diz Cristina, novamente procurou ajuda na casa maternal, mas não foi feito nada por seu marido, afirma Cristina Santos, que voltou para casa com o mesmo. Na manhã do dia 08 de novembro de 2018, o quadro já era mais que gravíssimo e em desespero, Cristina solicita uma ambulância para levar Renato Souza a uma unidade hospitalar, porém, o motorista da ambulância disse ser de praxe ter que passar na casa maternal para poder seguir para Arapiraca em busca de socorro, porém, ao chegar na casa maternal, o médico plantonista era o médico Jadson, segundo Cristina, Dr. Jadson foi até a ambulância e constatou que Renato não tinha condições de seguir para Arapiraca, observou imediatamente que era infarto e já percebendo a vida de Renato Souza se esvair, tentou reanima-lo, mas era tarde e Renato Souza partira. Para Cristina Santos, seu marido enfartou, é fato, mas se tivesse obtido o socorro da saúde de Lagoa Da Canoa, estaria hoje com a família e os amigos. Finaliza Cristina dizendo que o descaso de Tainá do Dr. Lauro com a saúde e a negligência médica tiraram as chances de seu marido estar vivo.